audiovisual

"Carne Fresca"

"Carne Fresca" traz à tona as reações do corpo frente a situações extremas, em uma experiência audiovisual . "Me propus a trazer para a obra as minhas reais sensações pessoais: o 'sentir' seria elevado até seu ponto mais alto. O objeto final da proposta é sensibilizar o outro para que suas sensações dialoguem com a obra para, assim, concluí-la. Não esteticamente, mas sensorialmente."

Produzido por:
Edson Rodrigues, Amanda Bigonha Salomão, Katiana Tortorelli e Paulo Motta.

Apoio:
HIATO, Ambiente de Arte

"Fellet"

A lógica cartesiana vem se tornando obsoleta para a pesquisa e estudo dos ambientes e da temporalidade dos conteúdos, passantes e viventes desses lugares. O espírito e as dimensões que se acumulam, contam e recontam, olham e reciclam as narrativas de um endereço transcendem o tempo presente e co-habitam em justaposição o mesmo espaço em que o olho do presente só vê a racionalização e o resultado da manifestação humana e natural nos elementos que ali ocupam no aqui-agora. O corpo vê a reação, os rastros e resquícios que levou àquele momento. E a alma cuida de imaginar e reconstruir os possíveis, os agentes que proporcionaram o que “está”, mas é a criativa, a construção, a ação que efetivamente, traz o que pode ter permanecido, o que irá “permanecer”!

"Movirtualizar-te"

"O movimento é a chave central que se coloca em uma conflagração de crítica metalinguística, que tenciona as propostas que vão do cinema verdade às loucuras de ser um cineasta marginalizadamente frustrado."

Produzido por:  
Guilherme Rezende LandimClaudia RangelLuciana Maia e René Loui

 

Selecionado Pelo I FAC: Corpo Ampliado 2012, e ainda pelo  Ruido.Gesto 2013 

"Modificar"

Concepção e Execução de Movimento: René Loui e Luciana Maia; Concepçao do figurino e modelagem: Fernando Siqueira Fotografia: Cassio Tassii e Júnia Dornellas ; Produção: André Werpel e Pedro Vitor Ferreira; .

"Mata.dor"

Processo experimental em VídeoPerformance criado a partir dos pensamentos de René Loui e Altiere Leal. O movimento interligado às novas tecnologias. Uma proposta ainda em construção.

"Todo Mundo Tá Falando"

A com-figura-ação que a Dança proporciona, tem como ponto de partida a visceralidade do corpo, sua realidade palpável do entendimento da arte/vida que transcende o território de ocupação. A distância máxima que o corpo pode alcançar em seu interior equivale-se aos limites de sua expansão para além de si.

 

Proposta desenvolvida na Conferência Internacional Corpos Imperfeitos na Performance Contemporânea - Almada/ Portugal